07 março 2006

O ukulele

Isto que aqui está é um instrumento havaiano chamado ukulele. «Ora, ora», dirão, «instrumento havaiano... O que isto é, é um cavaquinho!» Pois é.

Por muito estranho que pareça, a verdade é que o ukulele não é mais do que o portuguesíssimo cavaquinho transplantado para o Havai. Ganhou tal aceitação em tão longínquas paragens, que se tornou no instrumento mais tocado pelos havaianos e pelos polinésios em geral, mais ainda do que a dengosa guitarra havaiana. O cavaquinho/ukulele passou a ser um elemento essencial da "música típica do Pacífico".

Como é possível que este pequeno cordofone, nascido ali para os lados de Braga, tenha ido parar ao outro lado do planeta?! A explicação está numa palavra: emigração.

O Brasil (onde também se toca cavaquinho, aliás) não foi o único destino para onde se dirigiu a emigração portuguesa no século XIX. O Havai, lá tão longe no meio do Oceano Pacífico, acolheu também bastantes emigrantes portugueses. Entre estes, estiveram três artesãos violeiros que continuaram lá a fabricar cavaquinhos. Estes instrumentos tiveram tanto êxito naquelas paragens, que até a realeza havaiana passou a tocá-los.

Quem quiser aprofundar um pouco a história do ukulele poderá ler, em inglês, a página "The Hawaii Ukulele Guide Presents Over Century Of Ukulele History".

Comentários: 6

Blogger planaltobie escreveu...

E já agora sabe o que quer dizer ukulele? ...Pulga saltitante! Os havaianos acharam graça ao modo de tocar, ao tamanho do instrumento e ao som.

PCosta

PS: confirme-se, porque ouvi esta estória há tanto tempo...

08 março, 2006 23:02  
Blogger Denudado escreveu...

Caro PCosta, eu escrevi este artigo a propósito da incorporação, numa dada cultura, de instrumentos musicais vindos de outras culturas e resulta, também, do facto de eu ter ouvido o som de ukuleles numa emissão de rádio que ouvi, em ondas curtas, vinda dos antípodas.

Com efeito, é possível ouvir de manhã, aqui em Portugal, as emissões para o Pacífico da Rádio Nova Zelândia Internacional. Apesar de a Nova Zelândia se situar exactamente nos antípodas da Península Ibérica, as condições de propagação permitem que as emissões referidas cheguem até cá... passando pelo Pólo Norte!

Quanto à presença portuguesa em terras havaianas, ela é referida em quase tudo o que fale da História daquele arquipélago. Os portugueses que lá se fixaram foram bastante numerosos e integraram-se na sociedade local a ponto de praticamente se "dissolverem" na população indígena (polinésia, portanto) havaiana. Há, por isso, muitos havaianos que têm apelidos portugueses.

09 março, 2006 11:51  
Blogger D'Uke escreveu...

Este comentário foi removido pelo autor.

06 dezembro, 2009 10:15  
Blogger D'Uke escreveu...

Embora o ukulele tenha efectivamente as suas raízes em instrumentos tradicionais portugueses a verdade é que hoje em dia são instrumentos muito diferentes quer a nível de timbre, de afinação e de materiais com que são construídos.

Visite o blog da comunidade portuguesa dedicada em ukulele em http://ukulelept.blogspot.com

Visite também uma loja portuguesa especializada em ukuleles em http://www.ukefixe.com

06 dezembro, 2009 10:17  
Blogger Machetista escreveu...

Sobre o UKULELE, CAVAQUINHO e o BRAGUINHA:
Comentários às suas frases:
Frase 1:
"Isto que aqui está (instrumento na imagem em baixo) é um instrumento havaiano chamado ukulele. «Ora, ora», dirão, «instrumento havaiano... O que isto é, é um cavaquinho!» Pois é..."

Machetista Madeira: NÃO MEU CARO, NÃO É UM CAVAQUINHO, POIS NÃO É!...É SIM COMO LÁ DIZ, UM UKULELE!

Questão (Machetista Madeira): Ou será que um Cavaquinho é um Ukulele?
Resposta (Machetista Madeira): Não. É um Cavaquinho.

Frase 2:
"Por muito estranho que pareça, a verdade é que o ukulele não é mais do que o portuguesíssimo cavaquinho transplantado para o Havai..."

Machetista Madeira: NÃO, NÃO É MEU CARO!
É O MADEIRENSE BRAGUINHA/MACHETE (que também é português por ocaso) LEVADO PELOS EMIGRANTES MADEIRENSES PARA O HAVAI.

Questão (Machetista Madeira): O Timple Canário, é de Canárias ou da Espanha?
Resposta (Machetista Madeira): É de Canárias (que pertence à Espanha, mas é das Canárias).


Frase 3:
"...Como é possível que este pequeno cordofone, nascido ali para os lados de Braga, tenha ido parar ao outro lado do planeta?! A explicação está numa palavra: emigração..."

Machetista Madeira: SIM A EXPLICAÇÃO ESTÁ NA EMIGRAÇÃO, CLARO! MAS NÃO PARTIU DE BRAGA, COMO REFERE O AUTOR DO TEXTO, MAS SIM DA ILHA DA MADEIRA (PORTUGAL).

Questão (Machetista Madeira): O Bailinho é um gênero musical de Braga?
Resposta (Machetista Madeira): Não! é um Gênero musical da Madeira.

Questão (Machetista Madeira): O Braguinha é um instrumento musical de Braga?
Resposta (Machetista Madeira): Não! É um Instrumento musical da Ilha da Madeira.

NOTA: Escreva-se com toda a informação correta quando se informa alguém, para não induzir em erro! O erro repetido muitas vezes, pode tornar-se uma verdade se nada o contrapor.

Frase 4:
"...acolheu também bastantes emigrantes portugueses. Entre estes, estiveram três artesãos violeiros que continuaram lá a fabricar cavaquinhos..."

Machetista Madeira: SIM! ACOLHEU BASTANTES EMIGRANTES PORTUGUESES DA ILHA DA MADEIRA (assim se deve escrever). ENTRE ESTES, ESTIVERAM TRÊS ARTESÃOS VIOLEIROS QUE CONTINUARAM LÁ A FABRICAR BRAGUINHAS/MACHETES E RAJÕES..." (Assim se deve escrever a informação correta).

NOTA: Tentei, no meu papel de professor de Cordofones Tradicionais Madeirenses e professor de Educação Musical no Ensino Básico, usar a pedagogia de acordo com os meus conhecimentos e acesso a fontes fiáveis nesta matéria, colocando aqui, o que vem documentado nas mais variadas fontes vindas do Havai e dos EUA, em escritos desde o século XIX até aos nossos dias.

ESPERO TER AJUDADO!
SOU PELA INVESTIGAÇÃO E PELO CONHECIMENTO!
Abraço a todos

PARA REFLETIR:
"Ser Madeirense é ser Português!
Ser do Alentejano é ser Português!
Ser do Açoriano é ser Português!
Ser de Braga, Porto, Lisboa, Coimbra ou de qualquer outra região portuguesa é ser Português!
Ser Português é aceitar todas estas diferenças" - Roberto Moniz

O Texto que comento vem neste Blogue http://amateriadotempo.blogspot.pt/2006_03_01_archive.html

28 agosto, 2013 19:22  
Blogger Fernando Ribeiro escreveu...

(...) Na ilha da Madeira existe também o correspondente destes cordofones, com os nomes de braguinha, braga, machete, machete de braga ou cavaquinho. O braguinha tem as mesmas dimensões e número de cordas dos cavaquinhos continentais, a mesma forma e característica do cavaquinho de Lisboa: escala elevada sobre o tampo, dezassete trastos, boca redonda; o encordoamento parece ser de tripa, mas o povo substitui geralmente a primeira corda por fio de aço cru; a sua afinação é, do grave para o agudo, ré-sol-si-ré.

Gonçalo Sampaio acentua a distinção entre os instrumentos minhoto e madeirense, ou machete, que conhece apenas como instrumento solista e, como vimos, com características diferentes daquele; Carlos Santos considera-o mesmo de invenção insular, explicando o seu nome, de acordo com o autor do Elucidário Madeirense, pelo facto de o instrumento ser usado por gente que vestia bragas, antigo trajo do camponês ilhéu. Mas esta opinião parece ignorar o instrumento continental, do qual, a despeito das diferenças apontadas, não podemos deixar de aproximar à forma madeirense. De resto, outros autores madeirenses, como Eduardo C. N. Pereira, notando embora certas particularidades do braguinha, como a sua afinação pela viola, inclinam-se decididamente pela hipótese da origem continental do braguinha ou machete madeirense. E notamos a designação de machinho que aparece em algumas terras do Baixo Minho e de Basto, e já no Regimento de 1719 referente a Guimarães.


(in O Cavaquinho - Dr. Ernesto Veiga de Oliveira, extraído do livro "Instrumentos Populares Portugueses", edição da Fundação Calouste Gulbenkian).

29 agosto, 2013 00:02  

Enviar um comentário