30 julho 2017

Música vintage de Angola

Zé Salambinga, por Elias diá Kimuezu ("Elias das Barbas"), mestre da música popular de Luanda e mestre da língua quimbundo

Um dos temas mais frequentes na música popular urbana angolana era o do desaparecimento de pessoas. Habitualmente, eram homens que desapareciam, por terem sido levados pela PIDE/DGS para nunca mais serem vistos. Não é bem este o caso desta canção do falecido Urbano de Castro, chamada Rosa Maria, em que a pessoa desaparecida é uma mulher. Seja como for, o tema do desaparecimento está presente

Um outro tema que era frequente na música urbana de Angola era o da morte de alguém muito querido. É o caso desta canção pelo conjunto Jovens do Prenda, chamada Kikola ("Não pode ser"): Mama wadikwata mukondo we / Jipange joso jidil'o ("A mãe está prostrada / Os irmãos todos choram", em tradução aproximada)

Jihenda ya Mama ("Amor de mãe"), por António Paulino

Kalumba ("Menina"), uma canção de amor por Fernando Sofia Rosa

Merengue Rebita, por Paulino Pinheiro, uma combinação de dois ritmos: o merengue afro-caribenho e a rebita luandense

Bartolomeu, de Prado Paim, é outra canção sobre o tema do desaparecimento de uma pessoa: 'suku ni mwanya / ngenda ubeka wami / Kamba dya muxima, / se Kalunga wamwambata ("De noite e de dia / ando sozinho. / Amigo do coração, / (não sei) se a morte o levou"). A música desta canção, exuberante e irresistível, contrasta de forma extrema com a trágica letra

Ressurreição, de Elias diá Kimuezu, é outra canção que versa o tema da morte

Comentários: 0

Enviar um comentário