11 abril 2006

O jogo do pau


No seu romance "O Malhadinhas", que retrata uma personagem que existiu na realidade, Aquilino Ribeiro descreve um combate de jogo do pau entre o herói do romance e um outro contendor. Aquilino conta, nomeadamente, como o Malhadinhas humilha o seu adversário, despindo-o em público com o seu pau, em vez de o desancar. Com uma inacreditável precisão milimétrica, o Malhadinhas teria conseguido arrancar com a ponta do pau, um a um, todos os botões da roupa do seu adversário...

O jogo do pau é uma arte marcial que se impôs no norte de Portugal, tendo-se estendido depois ao resto do país. Embora a chamada "justiça de Fafe" consista no emprego de um pau como cacete e não como arma de combate entre iguais, a verdade é que muitos dos maiores mestres do jogo do pau eram da pequena cidade de Fafe.

Como curiosidade, saliente-se que o povo Surma da Etiópia também pratica uma arte marcial com varapaus, a qual apresenta muitas semelhanças com o jogo do pau português. É verdade que, no passado, os portugueses também estiveram na Etiópia, país cristão a que chamavam "Reino do Preste João" e que ajudaram a defender-se das investidas muçulmanas. Poderemos deduzir daí que existe uma relação entre o jogo do pau praticado em Portugal e o que existe na Etiópia? Muito provavelmente não, mas nunca se sabe.

Como demonstração do que é e de como se pratica o jogo do pau em Portugal, podem ser vistos três vídeos nesta página.

Comentários: 4

Blogger a.leitão escreveu...

Denudado,
Parece-me que temos de começar a incentivar mais o Jogo do Pau mas mais à maneira de Fafe.
Anda aí muita gente a precisar de levar com ele!
Estivesse o "Jogo" mais desenvolvido e estou certo que nesta 4ª Feira haveria Quorun na AR!

13 abril, 2006 01:20  
Blogger Denudado escreveu...

É do que os deputados-turistas andam a precisar, caro A. Leitão. De mais a mais, o Supremo Tribunal não considera crime dar-se um correctivo a deficientes mentais.

13 abril, 2006 14:57  
Blogger João Paulo Esperança escreveu...

Creio que nao e exacto o que diz. O Malhadinhas pede a' mocinha bonita - Rita, se bem me recordo - uma navalhinha bem afiada com a qual vai tirando os botoes ao fanfarrao, enquanto opoe ao jogo deste "todo de ropia", largo, o seu jogo curto, todo de rapidez. A facanha e' que o outro nao percebe que se expoe e que da mesma forma que o Malhadinhas tem capacidade de manobra para lhe ir cortando os botoes com a navalha, tambem poderia te-lo atingido facilmente com o pau.

Sobre o jogo do pau, em varias linguas, veja:

http://pt.wikipedia.org/wiki/Jogo_do_pau

21 novembro, 2006 06:50  
Blogger Denudado escreveu...

Caro João Paulo Esperança, agora que refere a navalha, lembro-me dela, sim. Eu escrevi de cor, porque não tenho "O Malhadinhas" cá em casa. Já tive, mas alguém deve tê-lo tomado de empréstimo para sempre... Preciso de comprar outro exemplar. Um abraço para Timor Leste.

21 novembro, 2006 23:17  

Enviar um comentário