11 maio 2006

Primavera

Sandro Boticelli, Primavera (1482)


Primavera

As heras de outras eras água pedra
E passa devagar memória antiga
Com brisa madressilva e primavera
E o desejo da jovem noite nua
Música passando pelas veias
E a sombra da folhagem nas paredes
Descalço o passo sobre os musgos verdes
E a noite transparente e distraída
Com seu sabor de rosa densa e breve
Onde me lembro amor de ter morrido
- Sangue feroz do tempo possuído

(Sophia de Mello Breyner Andresen)


Primavera, de Antonio Vivaldi

Abertura "Guilherme Tell", de Gioacchino Rossini

Primavera Porteña, de Astor Piazzolla


Comentários: 4

Anonymous Gaia escreveu...

Li atentamente.
Ouvi atentamente.
Majestosamente sublime.
SUBLIME!

12 maio, 2006 11:30  
Anonymous Eduardo Pascal escreveu...

Vem, Primavera! Abre o sendal de flores na terra,
Estende o pálio azul no espaço,
lava num beijo o firmamento baço,
traz a magia das luzes e das cores!
Com teus perfumes entontecedores, aromatiza as balsas.
Passo a passo acorda os ninhos
e de teu regaço
lança a mãos plenas rosas, esplendores.
A natureza em júbilo te espera:
aclamando-te os pássaros bisonhos
já se põem a cantar, Mãe da quimera.
E em minh'alma, entre frêmitos risonhos,
em febril disparada,
ó Primavera,
passa a galope o batalhão dos sonhos...

Mário de Lima - poeta brasileiro, 1886-1936.

22 setembro, 2009 21:59  
Anonymous Claraluz escreveu...

Eu preciso aprender com a primavera; "a deixar-me cortar e voltar sempre inteira"...

23 setembro, 2010 18:20  
Blogger Fernando Ribeiro escreveu...

Caros visitantes,

Obrigado pelas vossas visitas e pelas vossas belas palavras.

Agora, aqui em Portugal, estamos no Outono, que também é uma estação belíssima. Só é pena que ele prenuncie a chegada de uma estação tão triste como é o Inverno. Se pudéssemos passar diretamente do Outono para a Primavera é que seria bom...

26 setembro, 2010 16:52  

Enviar um comentário