15 outubro 2006

Outono

Outono na Cova da Beira (Foto: Al-Farrob)


PINGAS DE CHUVA

Caem,
Gordas, sonoras,
Monótonas pingas de chuva,
- Espaçadas -
E indolentes
Vão marcando uma toada:
Ping pang - ping pang,
As pingas
De chuva do Outono pardo.
Espapaçada
A terra mole absorve
As vagas de chuva densa
Que lenta vai caindo,
Em pingas grossas, sonoras.
E ao cair,
A chuva bate o compasso
Com o som dum contrabasso...
Ping...
Pang...
Ping...
Pang...

(Adolfo Casais Monteiro, in Poemas do Tempo Incerto)


1º andamento (Allegro - Ballo e canto de vilanelli) de Outono, de Antonio Vivaldi

2ª andamento (Adagio molto - Ubriachi dormienti) de Outono, de Antonio Vivaldi

3º andamento (Allegro - La caccia) de Outono, de Antonio Vivaldi


Autumn in New York, por Ella Fitzgerald e Louis Armstrong


I'm singing in the rain, por Gene Kelly


(Foto: Al-Farrob)

Comentários: 5

Blogger Sony Hari escreveu...

Gostei de ler o poema da chuva com a companhia de Ella Fitzgerald e Louis Armstrong. Tudo ganha uma nova dimensão ao som da música, da boa música, entenda-se.

15 outubro, 2006 12:55  
Blogger Denudado escreveu...

Sony Hari, existe uma outra versão extraordinária da canção Autumn in New York pela Billie Holliday, mas não a encontrei na Net. Seria interessante estabelecer uma comparação entre a versão da Billie e esta da Ella e do Louis, que não lhe fica atrás.

15 outubro, 2006 16:26  
Blogger Sony Hari escreveu...

Andei a ver se encontrava essa versão nos meus cds da Billie Holiday, mas infelizmente não a tenho :(

15 outubro, 2006 18:18  
Blogger Ida escreveu...

Que idéia deliciosa, visualmente, sonoramente... só faltou o cheiro húmido e o entardecer com a aragenzinha fresca... e o farfalhar das folhas sob os pés. Abraço de quem não tem outono e não se conforma.

18 outubro, 2006 20:38  
Blogger Denudado escreveu...

Cara Ida, o Outono é muitas vezes uma estação mágica, sobretudo para quem vive numa região onde a vegetação predominante é de folhagem caduca. As cores quentes da folhas das árvores são incomparáveis.

Pisar as folhas secas nos campos e jardins e adormecer ao som da chuva que cai lá fora são dois dos prazeres que o Outono nos dá. A sensação de respirar o primeiro ar frio da época, entrando-nos pelas vias respiratórias e fazendo-nos sentir que estamos vivos, é outro dos prazeres do Outono.

É verdade que o Outono é triste, porque prenuncia a chegada do Inverno, mas o Outono em si mesmo é incomparável.

21 outubro, 2006 00:41  

Enviar um comentário