20 fevereiro 2007

Uma nova atitude



As coisas têm de mudar, dizem as novas correntes da Educação. Aqui está um exemplo da NOVA ATITUDE que os professores têm de adoptar, a bem dos tempos modernos.

Avaliação de um exercício nos tempos que correm... (Orientado para professores que têm de mudar... e cumprir as políticas da Srª Ministra...)

QUESTÃO PROPOSTA:

6 + 7 = ?

A . EXERCÍCIO FEITO PELO ALUNO:

6 + 7 = 18

B . ANÁLISE:

A grafia do número seis está absolutamente correcta;

O mesmo se pode concluir quanto ao número sete;

O sinal operacional + indica-nos, correctamente, que se trata de uma adição;

Quanto ao resultado, verifica-se que o primeiro algarismo (1) está correctamente escrito - corresponde ao primeiro algarismo da soma pedida. O segundo algarismo pode muito bem ser entendido como um três escrito simetricamente - repare-se na simetria, considerando-se um eixo vertical! Assim, o aluno enriqueceu o exercício recorrendo a outros conhecimentos. A sua intenção era, portanto, boa.

C . AVALIAÇÃO:

Do conjunto de considerações tecidas nesta análise, podemos concluir que:

A atitude do aluno foi positiva: ele tentou!

Os procedimentos estão correctamente encadeados: os elementos estão dispostos pela ordem precisa. Nos conceitos, só se enganou (?) num dos seis elementos que formam o exercício, o que é perfeitamente negligenciável.

Na verdade, o aluno acrescentou uma mais-valia ao exercício ao trazer para a proposta de resolução outros conceitos estudados - as simetrias... - realçando as conexões matemáticas que sempre coexistem em qualquer exercício...

Em consequência, podemos atribuir-lhe um...

..."EXCELENTE"...

(Copiado à socapa do blog Sem Ordem)

Comentários: 2

Blogger Salucombo_Jr. escreveu...

quem sera que foi mais criativo;
o professor ou o aluno?

23 fevereiro, 2007 11:36  
Blogger Denudado escreveu...

Salucombo, a propósito de criatividade, eu às vezes invejo as pessoas que conseguem criar piadas novas. Quando vejo, por exemplo, os Gato Fedorento, fico espantado com a graça que eles conseguem ter, mesmo em situações para as quais, aparentemente, já se inventaram todas as graças possíveis e imaginárias. E no entanto eles conseguem sempre inventar ainda mais algumas! Eu também gostava de ser assim...

26 fevereiro, 2007 23:17  

Enviar um comentário