27 março 2007

Caminho longe

Caminho
caminho longe
ladeira de São Tomé
Não devia ter sangue
Não devia, mas tem.

Parados os olhos se esfumam
No fumo da chaminé.
Devia sorrir de outro modo
o Cristo que vai de pé.

E as bocas reservam fechadas
a dor para mais além
Antigas vozes pressagas
no mastro que vai e vem.

Caminho
caminho longe
ladeira de São Tomé
Devia ser de regresso
Devia ser e não é.

(Gabriel Mariano, poeta de Cabo Verde, in 12 poemas de circunstância, 1965)


Clicar para ouvir Cesária ÉvoraTrabalhadores numa roça de São Tomé. Foto antiga retirada daqui. Clicar na imagem para ouvir Cesária Évora, em Sodade.

Comentários: 3

Blogger Koluki escreveu...

Gabriel Mariano, grande poeta, sim senhor. Tanto na palavra escrita e falada, como na atitude perante a vida. Um verdadeiro Senhor Morabezza.

Denudado, o link nao funcionou... pelo menos para mim. Mas aproveito para lhe referir a existencia de um dueto do Sodade cantado pelo Bonga e a Cesaria. Nao o tenho, mas ja o ouvi e e' simplesmente o que de melhor esses dois "maiorais" podiam ter feito como dueto.

28 março, 2007 01:23  
Blogger Denudado escreveu...

Koluki, comigo o link funciona sempre. Agora mesmo está a funcionar. Já experimentou fazer "Copy shortcut" da imagem, com o botão do lado direito do rato, abrir um programa de leitura de MP3 (o Windows Media Player, Winamp ou outro), seleccionar no menu deste programa "Open" ou "Open URL" e fazer "Paste" do link para dentro dele? Pode ser que assim funcione.

Quanto ao dueto da Cesária com o Bonga, lembro-me de o ter ouvido há muito tempo. Na Web, só encontrei um excerto de 30 segundos, o que não chega para avaliar seja o que for... Está nesta página.

29 março, 2007 01:13  
Blogger Denudado escreveu...

Morreu o autor desta lindíssima morna, Armando Zeferino Soares. Ele partiu, ficou a "sodade". Paz à sua alma.

A notícia, que encontrei em A Semana On Line, diz assim:

Morreu Armando Zeferino Soares, pai da morna "Sodade"

04-04-07
Morreu ontem, na sua ilha natal de S. Nicolau, Armando Zeferino Soares, autor da célebre morna "Sodade", um dos sucessos de Cesária Évora nas suas andanças pelo mundo. Zeferino, 77 anos, comerciante na localidade de Praia Branca, pôde usurfruir por pouco tempo o reconhecimento pelo tribunal da sua criação cuja autoria era reivindicada, entre outros, pela dupla Amândio Cabral e Luís Morais. De acordo com a RCV, que deu a notícia em primeira mão, o funeral do extinto é hoje.

A decisão do tribunal que confirmou a autoria de "Sodade" a Armando Zeferino Soares aconteceu no final do ano passado, em Dezembro, mas notícia apenas foi divulgada em Fevereiro, mais uma vez, por "A Semana". Aliás, foi este jornal, na sequência de uma entrevista de Paulino Vieira, na qual insurgia-se contra a injustiça que se vinha cometendo a Zeferino, que despoletou o caso que acabou em tribunal. A história teve repercursão internacional, já que vários outros media se interessam por ela, acompanhando-a este jornal até ao fim.

"A Semana", na altura, entrevistou o próprio Zeferino que descreveu em que circunstância concebeu "Sodade", morna surgida num dia em que se foi despedir de um grupo de conterrâneos que iriam emigrar para S. Tomé e Príncipe, nos anos cinquenta. As despedidas musicais eram comuns e muito carregadas de emoção, pois, se a partida era uma certeza o regresso era uma incerteza. Aliás, o conteúdo da composição reflecte precisamente esse estado de espírito.

Cinquenta anos depois da sua criação pode-se dizer que "Sodade" tornou-se uma marca de Cabo Verde no mundo. Não só pelo número de intérpretes (nacionais e estrangeiros) que a cantaram e gravaram em disco, mas sobretudo pelo seu conteúdo, tornando assim estas ilhas no arquipélago da saudade.

05 abril, 2007 01:22  

Enviar um comentário