02 junho 2007

El Greco


El Greco, Vista de Toledo, óleo sobre tela, The Metropolitan Museum of Art, Nova Iorque


Repare-se no quadro reproduzido acima. Por mais moderno que pareça, ele foi pintado há precisamente 410 anos! Ninguém diria! O seu autor é um pintor, escultor e arquitecto grego nascido em Creta em 1541 e falecido em Espanha em 1614. O seu nome verdadeiro era Domenikos Theotokópoulos, mas o seu nome artístico era, simplesmente, El Greco, nome pelo qual ele é conhecido em todo o mundo. El Greco foi sem dúvida um dos mais importantes pintores europeus de sempre.

À vista deste quadro fantasmagórico e de outros quadros seus que mostram pessoas de corpos alongados e de músculos contorcidos, houve quem dissesse que El Greco deveria sofrer de uma qualquer doença mental, à semelhança de Van Gogh. Outros disseram que ele deveria ter um problema qualquer na visão, que o faria ver o mundo distorcido e alongado. O mais provável, no entanto, é que El Greco tivesse uma visão normal e regulasse bem da cabeça.

Na verdade, o estilo de El Greco reflecte as influências recebidas na sua Grécia natal, através dos ícones da Igreja Ortodoxa Grega, e em Itália, onde ele privou com alguns grandes nomes do Renascimento, como Miguel Ângelo. El Greco pegou nestas influências e transmitiu-lhes um cunho muito pessoal e de acordo com os cânones da arte maneirista. Como escrevi uma vez, o maneirismo cultivava a distorção e o exagero, em contraste com a perfeição renascentista.

A modernidade da obra de El Greco pode ser evidenciada na pintura "A Abertura do Quinto Selo" que a seguir se reproduz. Esta pintura representa uma passagem bíblica do Apocalipse, em que se vê, em primeiro plano, São João Evangelista e, mais atrás, algumas almas recebendo o manto da Salvação. Esta pintura de El Greco é tão moderna que serviu de inspiração a Pablo Picasso para a sua obra-prima cubista "Les Demoiselles d'Avignon", que se mostra mais abaixo.



El Greco, A Abertura do Quinto Selo, óleo sobre tela, The Metropolitan Museum of Art, Nova Iorque



Pablo Picasso, Les demoiselles d'Avignon, óleo sobre tela, Museum of Modern Art, Nova Iorque

Comentários: 5

Blogger a.leitão escreveu...

Excelente. Tomei a liberdade de fazer uma cópia das obras e texto para a minha "colecção de arte" digital

03 junho, 2007 00:08  
Blogger Denudado escreveu...

Por mim, pode copiar o que quiser, mas não perca de vista que eu publico estas coisas de uma forma completamente descomprometida. Às vezes também escrevo asneiras.

Eu publiquei estas reproduções de El Greco e não outras, com a finalidade de mostrar a modernidade da sua obra.

O seu quadro mais conhecido e admirado é "O Enterro do Conde de Orgaz", que pode ser visto aqui. Nele se podem comprovar os notáveis dotes de El Greco enquanto retratista.

04 junho, 2007 00:35  
Blogger paulocosta escreveu...

As ´demoiselles` fazem 100 anos, creio (1907).
E quanto ao alongamento das figuras a mim lembra-me mais o nosso Amadeo de Souza Cardoso e o seu amigo Modigliani (sobretudo este).

Denudado, um dia disse que havia uma ponte romana em Mirandela, mais a montante da velha ponte. Pois, o que há é vestigios de uma pequena ponte desse tempo, mas não creio que seja no Tua, mas sim de uma ribeira afluente. Ainda ficamos meio-esclarecidos, né?!

04 junho, 2007 14:47  
Blogger Denudado escreveu...

As "Demoiselles" fazem cem anos? Pois não parece, estão muito bem conservadas para a idade...

A mim, não me parece que o Amadeo de Souza-Cardoso alongasse as figuras. Agora o Amadeo italiano, sim, esse alongava-as mesmo.

Quanto à ponte romana a montante de Mirandela, é melhor ficarmos assim, meio esclarecidos. Ando com muita vontade de dar um "salto" a Trás-os-Montes, mas não é bem para os lados de Mirandela. Queria dar uma volta por Freixo de Espada-à-Cinta, de que gosto muito. O pior é que agora está a começar o tempo quente e aquilo lá pelo Freixo é tão quente como o Alentejo. Pelo menos. Sem exagero!

04 junho, 2007 23:59  
Anonymous Anónimo escreveu...

El Greco

24 junho, 2013 20:28  

Enviar um comentário