25 Julho 2007

Mezinhas e rezas da tradição portuguesa


Uma canga ou jugo de Matosinhos (Foto: Museus na Escola)



Matar piolhos

Faz-se uma mistura de borralha (cinzas quentes) peneirada com petróleo ou laranja azeda. Mexe-se bem e esfrega-se a cabeça com esta pasta.

Aliviar as dores de ouvidos

No ouvido onde se sente a dor deita-se leite de uma mulher que esteja a amamentar.

Matar lombrigas

Dar às crianças, uma vez por mês, leite fervido com um dente de alho.

ou

Tomar uma colher de azeite com açúcar.

Eliminar o treçolho (inflamação na pálpebra)

Esfrega-se o dedo na palma da mão e coloca-se o dedo aquecido em cima do treçolho.

Tratar a papeira

Quando uma criança tem a papeira deve colocar o pescoço na canga do gado, acabado de descangar.

Parar o sangue solto pelo nariz

Colocar dois pauzinhos em cruz nas costas do doente.

Fazer baixar a febre

Coloca-se um pano molhado em água fria na testa do doente.

Eliminar os cravos nas mãos

Sem ninguém ver contam-se os cravos que se tem nas mãos. Depois por cada cravo coloca-se, dentro de um saco, uma areia de sal. Põe-se o saco numa fonte. Os cravos passam para a pessoa que levar o saco.

ou

Promete-se uma dúzia de cravos (flores) a São Bento.

Tratar uma íngua (inflamação nas virilhas)

Com as mãos faz-se rodar uma foice à volta da perna que tem a íngua e vai-se dizendo: «Íngua e forca vai a Roma, íngua e forca ficou». Reza três vezes o "Pai Nosso" e a "Avé Maria".

Eliminar a azia

Tomar uma colher de açúcar ou mastigar um rebento de oliveira.

Tratar impingens (erupções cutâneas)

Com uma mistura de borralha e azeite, unta-se a impinge com uma pena de galinha e diz-se a seguinte reza: «Impinga repinga sai-te daqui, cinza do lar é contra ti. Eu te talho, eu te corto, pela graça de Deus e da Virgem Maria, um Pai Nosso e uma Avé Maria».

Encontrar gado perdido

Vai-se a uma capela ou igreja que tenha a imagem de Nossa Senhora de Fátima e diz-se: «Nossa Senhora aparecida trazei-me o gado que perdi». Rezar 10 vezes a Avé Maria, 10 vezes a Santa Maria, 5 vezes o Pai Nosso e ficar um dia de jejum.

Fazer crescer a massa do pão

Depois de meter o pão no forno e com a porta aberta procede-se do seguinte modo: com a pá do forno faz-se uma cruz na porta e diz-se: «Cresça o pão no forno, a graça de Deus pelo mundo, vivam os lavradores e morram os malfeitores».

Contra o bruxedo / mau olhado

Prepara-se um caco de telha. Dentro colocam-se brasas, alecrim, erva da inveja, palhas alhas, sal virgem e pontas de vassoura de giesta. Defuma-se o animal ou pessoa em cruz e vai-se dizendo: «Deus que te deu, Deus que te criou, Deus que te tire o mau olhado que contigo entrou, pela graça de Deus e da Virgem Maria, reza-se um Pai Nosso e uma Avé Maria». Leva-se o caco a uma encruzilhada de caminhos.

Eliminar sangue pisado

No local do sangue pisado colocam-se várias sanguessugas (número de sanguessugas é de acordo com o tamanho da nódoa). Quando as sanguessugas estiverem cheias caem despegando-se da pele.

ou

Aquecem-se côdeas de pão de milho e amassam-se com vinagre quando estiverem bem quentes. Espalha-se essa pasta no local da nódoa e cobre-se com um pano.

Talhar a erisipela (doença cutânea)

«Pedro e Paulo foram a Roma. Encontraram Nossa Senhora que lhe perguntou: Onde vão? Vamos curar uzipela que muita gente morre dela. Ide e curai-a com sumo de oliva e pena de galinha. Por a graça de Deus e da Virgem Maria um Pai Nosso e uma Avé Maria».

Acalmar as trovoadas

Quando troveja as pessoas costumavam dizer a Santa Bárbara a seguinte reza: «Santa Bárbara Virgem se levantou e no seu livrinho de ouro pegou. O Senhor lhe perguntou: Para onde vais Bárbara? Vou juntar trovoadas que andam pelo mundo espalhadas. Pois Bárbara virgem [vai] e junta-as para onde não haja pão, nem vinho, nem bafo de menino, nem galo a cantar, nem boi a urinar. Pela graça de Deus e da Virgem Maria, reza-se um Pai Nosso e uma Avé Maria».

ou

Lança-se no lume da lareira três raminhos de oliveira benzidos no Domingo de Ramos.

"Deitar" galinhas

Faz-se um ninho de feno. Escolhem-se os ovos que têm de ser frescos e bons. Para ver a galadura do ovo, coloca-se o mesmo contra a luz de uma vela. Colocam-se os ovos no ninho, um a um e vai-se dizendo a seguinte reza: «São Salvador que nasça tudo pitas e um só galador».

ou

«Pito, pitão tudo pitas e um só galão».

(in Património Imaterial Galego-Português)



Uma junta de bois com a sua canga ou jugo (Foto: Coura: Magazine-Foto)

Comentários: 9

Blogger Phwo escreveu...

Fantástico, Denudado!
Sabes que eu ainda fui objecto de aplicação de algumas dessas mézinhas?
Antiguidade ou a força da tradição. (Vou mais pela segunda, eheheh)
Bjs.

Nota: Para a lombrigas era chá de hortelã, para o treçolho era um anel de ouro aquecido ou recitar "treçolho, treçolho,passa para aquel'olho"; para os cravos,leite de figueira; dores de ouvidos, 1 gota de azeite morno; para a febre uma cruz de linha vermelha na cabeça....
Acredito na sabedoria popular.

27 Julho, 2007 01:32  
Blogger Denudado escreveu...

Phwo, eu fui objecto de uma destas mezinhas, mas não me lembro, porque era pequeno demais. Conta a minha mãe que eu tive tantas lombrigas que formavam um novelo na minha barriga. Elas acabaram por sair depois de eu ter tomado várias vezes azeite com açúcar.

A minha irmã mais velha, quando teve papeira, foi levada a um lavrador dos arredores daqui do Porto. Ele colocou-lhe sobre o pescoço uma canga acabada de tirar de uma junta de bois, ainda quente do cachaço deles. Enquanto fez isto, o lavrador recitou uma reza. Foi por causa deste episódio que resolvi ilustrar este post com cangas daqui da região de Entre-Douro-e-Minho.

Agora também me fizeste lembrar do dito "treçolho, treçolho, passa para aquele olho", que ouvi algumas vezes.

Quando trovejava, a minha avó, que tinha um verdadeiro pavor às trovoadas (ela havia de conhecer as dos trópicos!), acendia no fogão de sala um ramo, que para esse fim tinha sido benzido no Domingo de Ramos. Mas não era um ramo de oliveira; costumava ser um de palmeira. A seguir, ia para a cama, metia-se debaixo de um edredão de penas, que ela dizia proteger das trovoadas, e recitava várias vezes uma oração a Santa Bárbara semelhante à que aqui transcrevi. Por fim, rezava o terço e só saía da cama quando a trovoada tivesse passado de todo.

28 Julho, 2007 00:43  
Blogger Phwo escreveu...

Ahahahhahaha. Engraçadas estas recordações. E umas trazem outras.
Eu, quando era pequena e chovia, sentava-me sobre a cama e, com a minha irmã, lá íamos papagueando aquela da "Nossa Senhora da Conceição,traga sol e chuva não", ensinada pela nossa mãe. Mas, original era a minha bisavó. Contava o meu pai que às vezes, aqui em Luanda, quando eles se queriam calçar para ir à escola, não encontravam os ténis. Então, já sabiam o que fazer. Íam ao quarto da avó deles e lá estava ela, a kota, a dormir descansadinha na sua cama, a qual, por ser de ferro, ela "calçava" com os sapatos de borracha dos netos, um em cada pé da cama. Esta era a reacção dela a essas trovoadas a que te referiste.

28 Julho, 2007 02:16  
Blogger Denudado escreveu...

Lembrei-me agora também que se realiza todos os anos, em Agosto (está quase), uma grandiosa romaria a S. Bento da Porta Aberta, na região do Gerês. Dizem que é a segunda romaria mais concorrida de Portugal. Muitas das pessoas que lá vão, fazem-no para pedir a S. Bento que as livre de cravos nas mãos, ou para lhe agradecerem o terem ficado sem cravos.

30 Julho, 2007 00:19  
Anonymous Cangonja escreveu...

Bem... minha avó Palmira, mulher super-pragmática, não resistia a "prender o diabo" quando não encontrava alguma coisa que lhe fazia falta em algum momento. O que é certo é que me recordo que quando ela atava um lenço de mão à perna de uma cadeira, rapidamente aparecia o que ela queria!
Mais recentemente, quando troveja(va), a minha sogra manda fechar todas as janelas porque diz que "o ar da trovoada faz mal"! Eheheh
Um abraço

01 Agosto, 2007 13:10  
Blogger Denudado escreveu...

Cangonja, talvez a sua sogra tenha uma pontinha de razão. Durante as trovoadas, forma-se uma grande quantidade de ozono, que é uma forma extremamente reactiva de oxigénio. O ozono é bom, mas é lá em cima, na estratosfera, para nos proteger das excessivas radiações ultravioletas provenientes do Sol. Mas cá em baixo, o ozono é mau, porque ataca o tecido pulmonar e provoca asma e outros problemas respiratórios. O ozono é considerado um poluente muito grave.

Note-se, no entanto, que o ozono provocado pelas trovoadas desaparece pouco tempo depois de estas acabarem, convertendo-se em oxigénio molecular, e por isso não constitui qualquer ameaça. O ozono proveniente da actividade industrial e do tráfego citadino, pelo contrário, está continuamente a ser produzido e provoca muitas das alergias e outros problemas respiratórios entre os habitantes dos centros urbanos.

03 Agosto, 2007 09:49  
Anonymous Cangonja escreveu...

Caro Denudado
Uma das razões porque gosto de vir aqui é precisamente esta. Aprender sempre mais um bocadinho!
Obrigada por esta sua explicação.

06 Agosto, 2007 18:42  
Anonymous Eduardo Pascal escreveu...

Para afugentar serpentes e outros animais de peçonha:

"São Bento, água benta, Jesus Cristo no altar. São Bento nos proteja hoje e sempre dos bichos ferozes e peçonhentos."

Contra tormentas:

"Santo Antônio pequenino, se vestiu e se calçou. Para o céu se encaminhou. O santinho, no caminho, o bom São Pedro encontrou. E assim que viu o santinho, São Pedro lhe perguntou: 'Aonde vais, Santo Antoninho, se agora só chove e venta?' "Vou ao céu, meu bom São Pedro, acalmar essa tormenta!'"

Ou ainda:

"Santa Bárbara bendita, que no céu está escrita! Livra-me da má sentença e do fogo na moração (casa, lar). São Pedro e São Simeão têm a chave do trovão; assim como eles são santo, serão esses trovão manso. Para sempre, amém!" E ao terminar a oração, faz-se outra cruz. Duas, apenas: uma, no começo, outra no fim.

Imprecação contra raios e trovões:

"Santa Bárbara, São Jerônimo!"

A primeira providência que se tomava quando tormenta estava "se armando", era tapar os espelhos, e logo a mãe fazia uma pequena cruz de sal em cima de qualquer mesa.

Para evitar pesadelos, ao deitar:

"Com Deus me deito, com Deus me levanto: com o pai, com o Filho e o Espírito Santo".

22 Setembro, 2009 21:08  
Anonymous Anónimo escreveu...

ORAÇÃO FORTE E PODEROSA DE SÃO CIPRIANO. INFALIVEL! Pelos poderes de São Cipriano;Que os numeros do euromilhões venham agora em sonhos. toda a noite para mim. Apostarei e ganharei os numeros acumulados. São Cipriano, eu terei esse poder, que o sonho de ganhar no euromilhões fácil torne-se real com o seu poder , agora. poderei realizar o meu sonho, pagar as minhas dívidas, compor a casa, comprar carro, comprar roupas, ter imenso dinheiro para tudo, conhecer o mundo ,ajudar a todos os que necessitam da minha ajuda. São Cipriano afaste todo o azar, toda a inveja, todas as coisas ruins que me impeçam de ganhar no euromilhões. HOJE e AGORA, tenha a certeza que eu sou a pessoa perfeita para ganhar esse jogo, e ninguém mais além de mim. Que os números que serão sorteados não saiam mais do meu pensamento todos os momentos.Até a hora que eu ganhar . E ao deitar que tenha sonhos com os numeros e ao acordar que os numeros sejam claros no meu pensamento . São Cipriano, faça isso por mim, como nunca fez por outra pessoa e talvez fará dependendo da fé de cada um. Agradeço por estar trabalhando em meu favor e vou divulgar o seu nome, São Cipriano em troca de sonhar com os numeros certos do euromilhões. Apostarei e com a fé nesta oração ganharei os meus primeiros milhões, ajudarei outras pessoas e realizarei os meus sonhos. conhecerei esse mundo que DEus fez pra mim, desfrutarei da melhor maneira possivel tudo que o dinheiro pode oferecer, graças à minha fé nesta oração. Peço isso aos poderes de SÃO CIPRIANO. Amém! Divulgue essa oração que terás uma surpresa

18 Novembro, 2013 01:38  

Enviar um comentário

<< Home