08 dezembro 2010

A Lapa de Santa Margarida

O mar visto do interior da Lapa de Santa Margarida. Terá sido neste local que se deu a tragédia. (Foto de autor desconhecido)

A Lapa de Santa Margarida, na Serra da Arrábida, foi notícia durante os últimos dias pela pior razão. Nela, quatro pescadores desportivos foram arrastados para o mar por uma onda, só tendo sido possível salvar dois deles. Os outros dois morreram.

Certamente os quatro homens foram pescar para um penedo que fica situado em frente da boca da gruta, chamado Penedo do Duque, que apesar de ficar muito próximo de terra é de difícil acesso. O penedo tem este nome porque no séc. XVII o duque de Aveiro, que tinha o seu palácio em Vila Nogueira de Azeitão, ali costumava vir pescar. O penedo não costuma oferecer perigo de maior quando o mar está calmo, mas com tempestade de sudoeste ele pode ser fatal, como se viu.

A Lapa de Santa Margarida é uma das várias grutas existentes na Serra da Arrábida. É a única que eu conheço, porque as outras ou são praticamente inacessíveis ou ficam em zonas classificadas como reserva integral. A gruta fica junto ao mar e o acesso a ela é muito fácil, pois faz-se por umas escadas situadas ao lado de uma vivenda existente no ramal de estrada que conduz ao Portinho da Arrábida. Fica, portanto, entre o Portinho e Alpertuche.

Não se espere encontrar alguma coisa que valha a pena ver na Lapa de Santa Margarida, a não ser a sua abertura sobre o mar. A gruta, em si, é feia que se farta e não tem interesse absolutamente nenhum, a não ser, como curiosidade, a existência no seu interior de uma espécie de capela debaixo de um alpendre. A capela encontra-se num estado lastimável, como é lastimável o lixo e o aspeto de desleixo e de abandono que tudo aquilo apresenta.

No entanto, quem consultar o Guia de Portugal, mais concretamente o seu primeiro volume, datado de 1924, lerá que a Lapa de Santa Margarida era uma «verdadeira catedral marinha coberta de estalactites e estalagmites, que por vezes se unem em colunas maravilhosas, outras vezes eriçam o tecto de alvíssimas cristalizações». Um pouco mais à frente, o autor da obra (Raul Proença) cita o grande escritor dinamarquês Hans Christian Andersen, que descreveu assim esta gruta: «É uma vasta caverna de estalactites sob as claras águas do oceano; a sua grandiosidade excede toda a descrição... Constitui uma verdadeira igreja de rocha, com sua cúpula fantástica, tubos de órgão, colunas e altares».

A gente lê esta descrição, vai à gruta e abre a boca de pasmo até às orelhas. Não há lá absolutamente nada do que foi descrito em 1924! «Estalactites»? Onde estão? «Colunas maravilhosas»? Para onde foram? «Catedral marinha»? Que maldição lhe caiu em cima, que não a vemos? Pois é muito simples: a madição que reduziu a Lapa de Santa Margarida a um buraco nu e cheio de lixo chama-se portugueses. Portugueses, sim, que ao longo dos anos foram destruindo uma gruta que se dizia ser linda, foram partindo as suas estalactites e estalagmites, para levá-las para casa como "recordação" ou para vendê-las, e foram vandalizando a capela existente no seu interior. O resultado é o "lindo serviço" que lá está agora. Que vergonha!!!

No interior da Lapa de Santa Margarida. Que fizeram às estalactites e estalagmites? Quem partiu os azulejos que guarneciam a capela? (Foto: Ricardo Soares)

Comentários: 15

Anonymous Anónimo escreveu...

É verdade sim senhor, infelizmente é o povo que temos num país tão belo como o nosso, e se verificarem os restantes "pesqueiros" da nossa costa é uma vergonha!!!

09 dezembro, 2010 16:43  
Blogger Fernando Ribeiro escreveu...

Caro/a anónimo/a

Obrigado pelo seu comentário. O problema não é só nos "pesqueiros", é no país todo.

Dizem os livros de História que o povo bárbaro dos Vândalos passou por cá há cerca de 1500 anos. Pelos vistos, durante a sua passagem eles deixaram alguns filhotes que se comprazem em destruir e emporcalhar tudo o que existe neste país.

14 dezembro, 2010 02:25  
Anonymous Anónimo escreveu...

Feia?
Inveja é lixado. O Porto é mais bonito. LOL

Ridiculo.

01 julho, 2012 00:53  
Blogger Fernando Ribeiro escreveu...

Inveja? LOL! Já visitou a gruta de Mira de Aire ou a de Alvados, por exemplo? Então visite e compare.

01 julho, 2012 01:15  
Blogger Jorge Barreto escreveu...

Tive la ha pouco tempo e realmentr é triste a gruta se encontrar num estado degradante , encontrei alguns simbolos estranhos, parece-me ser usado por alguma seita pois vi alguns santos ao contrario...

22 novembro, 2012 01:00  
Blogger Fernando Ribeiro escreveu...

Caro Jorge Barreto, obrigado pela sua visita. É possível que a gruta seja usada por alguma seita esquisita. Já imaginou um grupo de embuçados reunidos à meia-noite, de preferência à luz de archotes que projetam sombras fantasmagóricas nas paredes da caverna? Dava uma cena para um filme de terror...

23 novembro, 2012 03:42  
Anonymous Anónimo escreveu...

adorei a gruta apesar de ter ficado um pouco desiludida com o ser humano k so sabe destruir! enfim!

09 fevereiro, 2013 23:06  
Anonymous Anónimo escreveu...

"...Não se espere encontrar alguma coisa que valha a pena ver na Lapa de Santa Margarida..."

Devo dizer que já lá dormi com os meus Escuteiros e acho que a experiência é melhor assim do que se esta Gruta não existisse. Se calhar devia lá passar uma noite, no breu da gruta e no silêncio das ondas que batem à sua porta e percebia que apesar de a Capela não estar nas melhores condições, não faz dela um sítio que deve ser evitado. Espero que não escreva para nenhuma revista de Turismo porque pelas suas palavras, mais de metade das grandes obras por esse mundo fora, recebem o seu "Menos Menos". Tiago

01 outubro, 2013 02:20  
Blogger Fernando Ribeiro escreveu...

Se eu escrevesse para uma revista de turismo, escreveria o mesmo, para não enganar os meus leitores. Assim como está, a gruta não é nenhuma das tais "grandes obras" de que fala, nem pouco mais ou menos. É claro que o facto de ela estar junto ao mar é um fator positivo a considerar. Mas não chega.

05 outubro, 2013 02:47  
Blogger R. Gaspar escreveu...

Embora vandalizada este não deixa de ser um espaço a visitar na Arrábida. Cultos cristãos e sobretudo afro-brasileiros são ali celebrados. Imagens de Maria Padilha e de Iemanjá, podem-se ver colocadas no altar ao lado de outras de Nossa Senhora de Fátima e das dezenas de outras católicas. Se gosta da Arrábida e tem interesse em saber mais recomendo o meu livro ARRÁBIDA DESCONHECIDA onde descrevo este e outros interessantes lugares da nossa belissima e única Serra-Mãe.

13 outubro, 2013 06:57  
Blogger Fernando Ribeiro escreveu...

Obrigado pela sua recomendação. Com efeito, a Serra da Arrábida tem muito para descobrir e admirar. É uma serra verdadeiramente espantosa. Em comparação com o que se pode ver e admirar em toda aquela serra, a Lapa de Santa Margarida acaba por ser pouco mais do que uma mera curiosidade.

Para já não falar no Portinho e no Convento dos Capuchos (a parte velha e a parte nova), basta referir a grandiosa vista que se tem do ponto mais alto da serra, o Alto do Formosinho; as escarpas verticais sobre o mar na zona da Furna; as extraordinárias dimensões que atingem as espécies arbustivas que constituem a quase totalidade da Mata Coberta e da Mata do Solitário (estão classificadas como Reserva Integral e por isso não devem ser violadas); a suavidade da paisagem da encosta norte da serra, virada para Azeitão (Vale de Picheleiros, Pinheiro da Velha, etc.); o Palácio do Calhariz, já a caminho de Sesimbra, que é propriedade privada dos descendentes do Duque de Palmela e para cuja visita se deve pedir autorização; e muito mais ainda (as diversas praias, Outão, El Carmen, Casa da Comenda, etc. etc.).

16 outubro, 2013 17:32  
Anonymous Anónimo escreveu...

Nem sempre aquilo que os olhos vêem corresponde á realidade, por vezes somos enganados, temos de os fechar e sentir com o coração. Um lugar com uma energia fantástica!

16 maio, 2014 15:39  
Blogger Fernando Ribeiro escreveu...

Caro/a anónimo/a, tenho que lhe dar razão. Se, quando estivermos na Lapa de Santa Margarida, fecharmos os olhos, escutarmos o marulhar das ondas ecoando nas paredes da caverna, nos inebriarmos com o cheiro a maresia que o ar salgado traz até às nossas narinas e deixarmos a nossa imaginação à solta, então, sim, o lugar tem energia e tem magia.

17 maio, 2014 03:34  
Blogger Joao Lobo escreveu...

na minha opinião a gruta se for bem arranjada e bem tratada é um local bastante bonito mas se for mal tratado e vandalizado é horrível.


20 janeiro, 2016 21:46  
Blogger Fernando Ribeiro escreveu...

Sem dúvida, caro Joao Lobo. De acordo. De resto, na serra da Arrábida, talvez só a Lapa de Santa Margarida esteja junto ao mar e seja de acesso fácil a qualquer pessoa. Mas outras grutas existem mais acima na serra. Uma delas é a chamada Lapa do Médico, que não conheço. Não é de aconselhar uma visita à Lapa do Médico (ainda menos sem a companhia de um guia experimentado), porque ela se situa dentro de uma área de Reserva Integral, que é a Mata do Solitário. Não se deve penetrar nesta mata (nem na Mata Coberta, nem na encosta norte da serra, que também são Reservas Integrais) para não perturbar a Natureza, que é muito sensível nesta parte da Arrábida.

21 janeiro, 2016 03:17  

Enviar um comentário