24 dezembro 2012

na hora de pôr a mesa, éramos cinco...

na hora de pôr a mesa, éramos cinco:
o meu pai, a minha mãe, as minhas irmãs
e eu. depois, a minha irmã mais velha
casou-se. depois, a minha irmã mais nova
casou-se. depois, o meu pai morreu. hoje,
na hora de pôr a mesa, somos cinco,
menos a minha irmã mais velha que está
na casa dela, menos a minha irmã mais
nova que está na casa dela, menos o meu
pai, menos a minha mãe viúva. cada um
deles é um lugar vazio nesta mesa onde
como sozinho. mas irão estar sempre aqui.
na hora de pôr a mesa, seremos sempre cinco.
enquanto um de nós estiver vivo, seremos
sempre cinco.

José Luís Peixoto, escritor português contemporâneo



Comentários: 5

Blogger Um Jeito Manso escreveu...

O natal tem destas coisas. os lugares ficam mais ostensivamente vazios, as recordações recuam até ao mais fundo de nós.

Independentemente disso: desejo-lhe um bom Natal.

24 dezembro, 2012 01:45  
Blogger Rogério Pereira escreveu...

A memória é uma presença viva. E por vezes isso nos chega
Para estar, à mesa
Na noite da consoada

Abraço e Bom Natal

24 dezembro, 2012 02:14  
Blogger Fernando Ribeiro escreveu...

Prezada Um Jeito Manso e prezado Rogério Pereira,
Os momentos de festa são muitas vezes momentos de saudade também. O Natal é um exemplo paradigmático disto, mas que podemos fazer? A vida é assim mesmo. Um bom Natal para vós também.

24 dezembro, 2012 02:45  
Blogger umBhalane escreveu...

Um Natal com paz, saúde e alegria.
Uma boa quadra festiva.

24 dezembro, 2012 16:01  
Blogger Fernando Ribeiro escreveu...

Muito obrigado, caro umBhalane. Um Natal muito feliz para si também.

24 dezembro, 2012 17:06  

Enviar um comentário