14 dezembro 2012

Vénus, Cupido, Vulcano e Marte


Vénus e Marte surpreendidos por Vulcano, óleo sobre tela de Tintoretto (1518-1594), Alte Pinakothek, Munique, Alemanha


Os deuses da mitologia greco-romana eram tudo menos modelos de virtudes. Era-lhes atribuída toda a espécie de qualidades e de defeitos, tal como entre os mortais.

Neste quadro do pintor veneziano Tintoretto (de seu nome próprio Jacopo Comin, a quem também chamaram Jacopo Robusti e Il Furioso), podemos ver a deusa do amor Vénus reclinada no seu leito, enquanto o marido enganado, que é o deus do fogo Vulcano, procura vestígios de amores ilícitos. Ao mesmo tempo, Cupido finge estar a dormir. No canto inferior direito da tela, um cão prepara-se para ladrar e assim denunciar a presença do amante de Vénus, que é o deus da guerra Marte, escondido debaixo de uma outra cama... O escudo de Marte, funcionando como um espelho, permitiu a este deus ver a aproximação de Vulcano e esconder-se antes de ele chegar.

Comentários: 1

Blogger Rogério Pereira escreveu...

Não sei se não era apenas a visão de Tinttoreto... de qualquer forma, sobre a mitologia, é fácil especular sobre o que os deuses podiam fazer ou pensar...

A imagem é belíssima

14 dezembro, 2012 19:28  

Enviar um comentário