05 maio 2013

Adeus à hora da largada

Minha mãe
(todas as mãe negras
cujos filhos partiram)
tu me ensinaste a esperar
como esperaste nas horas difíceis

Mas a vida
matou em mim essa mística esperança

Eu já não espero
sou aquele por quem se espera

Sou eu minha Mãe
a esperança somos nós
os teus filhos
partidos para uma fé que alimenta a vida

Hoje
somos as crianças nuas das sanzalas do mato
os garotos sem escola a jogar a bola de trapos
nos areais ao meio-dia
somos nós mesmos
os contratados a queimar vidas nos cafezais
os homens negros ignorantes
que devem respeitar o homem branco
e temer o rico
somos os teus filhos
dos bairros de pretos
além aonde não chega a luz eléctrica
os homens bêbedos a cair
abandonados ao ritmo dum batuque de morte
teus filhos
com fome
com sede
com vergonha de te chamarmos Mãe
com medo de atravessar as ruas
com medo dos homens
nós mesmos

Amanhã
entoaremos hinos à liberdade
quando comemorarmos
a data da abolição desta escravatura

Nós vamos em busca de luz
os teus filhos Mãe
(todas as mães negras
cujos filhos partiram)
vão em busca de vida.

Agostinho Neto (1922-1979), poeta e primeiro presidente de Angola


(Foto: Selma Fernandes)

Comentários: 5

Blogger Rogério Pereira escreveu...

"Mãe não tem limite,
é tempo sem hora,
luz que não apaga"

Carlos Drummond de Andrade

05 maio, 2013 16:58  
Blogger Fernando Ribeiro escreveu...

Caro Rogério Pereira,
É belíssimo o poema de Carlos Drummond de Andrade dedicado às mães, que publicou no seu blog e de que trouxe para aqui um excerto. Já há muito tempo que ando com vontade de publicar aqui um poema dele. Assim eu me lembre e aproveite uma oportunidade.

Tenho andado muito desleixado com este blog, ultimamente. A culpa é do Facebook, que me está a roubar cada vez mais tempo. Eu não gosto do Facebook, mas cada vez mais familiares e amigos quase só me contactam através dele. Oh, sorte malvada!...

06 maio, 2013 03:50  
Blogger Um Jeito Manso escreveu...

Fez-me rir este seu comentário. Sem o conhecer, não o imaginava nada com página no facebook. Eu não tenho e tendo a achar o facebook uma verdadeira futilidade; mas se calhar não é e estou equivocada.

Mas, seja como for, não deixe que isso prejudique o blog pois as suas escolhas são sempre uma maravilha.

07 maio, 2013 23:07  
Blogger Fernando Ribeiro escreveu...

Talvez o fundador do Facebook, Mark Zuckerberg, não tivesse pensado nisso, mas a verdade é que o Facebook presta-se às mil maravilhas a ser usado nos iPhones, iPads, smartphones e quejandos. E como há cada vez mais gente a usar esses gadgets, mais o Facebook cresce e me enreda.

08 maio, 2013 02:11  
Blogger Um Jeito Manso escreveu...

Ainda um dia experimento para ver se consigo resistir...

08 maio, 2013 22:34  

Enviar um comentário