27 março 2014

Pareço-me


Ngidifangana, gravada em 1973 pelo cantor angolano Rui Mingas. Este poema, que Mário António de Oliveira escreveu em quimbundo e Rui Mingas musicou, diz de uma forma resumida mais ou menos o seguinte: «Pareço-me com um cão rafeiro que as pessoas enxotam, dando-me um pontapé no rabo e dizendo: "Fora daqui!". Eu fujo com a cauda entre as pernas, ganindo: "Caim, caim, caim..."»

Comentários: 4

Blogger Rogerio G. V. Pereira escreveu...

Convém dizer que é uma canção datada, de 1973...

27 março, 2014 01:58  
Blogger Fernando Ribeiro escreveu...

Tem toda a razão, para que se compreenda o verdadeiro significado da canção. A canção é de 1973, mas o poema é ainda mais antigo, talvez dos anos 50 ou 60. Naquele tempo, não se podiam dizer as coisas muito abertamente; tinha-se que usar um sentido figurado. Sobretudo quando se tratava de exprimir o sentimento de um colonizado.

27 março, 2014 02:57  
Blogger NAMIBIANO FERREIRA escreveu...

Lembro dessa musica!

Os primos de Mário António sao amigos de infancia do meu pai, os que viviam no Namibe. A tia do Mário, a D. Eugénia, era uma doceira de mao cheia, fazia uns "pingos de tocha" que era de comer e chorar por mais, o Fernando ia adorar. As coisas que esta sua postagem me fizeram reviver... Amén!

Kandandu

27 março, 2014 16:28  
Blogger Fernando Ribeiro escreveu...

Ai os "pingos de tocha"! Eu ia adorar comê-los, ia! São puro colesterol, mas são um colesterol tão bom...

28 março, 2014 03:25  

Enviar um comentário