05 setembro 2014

Um instrumento musical fantasmagórico

Um teremim


É possível tocar um instrumento musical sem lhe pôr as mãos em cima? É, se esse instrumento for um teremim.

O teremim, do inglês theremin, é um dos mais antigos instrumentos musicais eletrónicos. Foi inventado em 1920 por um físico russo chamado Lev Sergeevich Termen (1896-1993) (mais conhecido no Ocidente como Léon Theremin), de quem tomou o nome, quando este físico estudava sensores de proximidade.

Este curioso instrumento, que se toca sem que haja qualquer contacto físico entre ele e o intérprete, nunca alcançou uma grande popularidade. Manteve vivo, porém, o interesse de vários entusiastas ao longo de décadas e foi usado nomeadamente no cinema, para acompanhar cenas de filmes de suspense ou de ficção científica.



O físico russo Lev Sergeevich Termen apresenta e toca o instrumento que inventou



Grégoire Blanc toca o início do 2º andamento (Allegretto) da Sinfonia nº 7 de Ludwig van Beethoven, num arranjo para 6 teremins


Esquema do circuito eletrónico de um teremim constituído por componentes modernos. Neste circuito podem distinguir-se cinco partes, não contando com a fonte de alimentação, no canto inferior direito. São elas:

1 — Um oscilador em ponte de Wien, à esquerda, composto pelo OTA (amplificador operacional de transcondutância) U1, o amplificador operacional U2, o transistor bipolar PNP Q1 e componentes passivos associados, que gera uma frequência constante e permite a regulação do volume do som, em função do acoplamento capacitivo com uma das mãos do intérprete;

2 — Um segundo oscilador em ponte de Wien, à direita, composto pelo OTA U4, o amplificador operacional U5, o transistor bipolar PNP Q3 e componentes passivos associados, que gera uma frequência variável em função do acoplamento capacitivo com a outra mão do intéprete;

3 — Um multiplicador constituído pelo transistor JFET (transistor de efeito de campo de junção) Q2; ao dreno deste transistor está ligado o oscilador que controla o volume e à porta está ligado o oscilador que controla a frequência;

4 — O amplificador operacional U3A e componentes passivos associados constituem um filtro passa-baixo Sallen-Key, que elimina a frequência mais aguda do sinal proveniente do multiplicador anterior, deixando passar apenas a frequência audível;

5 — O amplificador operacional U3B e componentes passivos associados fazem a amplificação do sinal recebido do andar anterior e entregam-no ao altifalante ou o que quer que se deseje ligar ao teremim, através da tomada J2, no canto superior direito do esquema.

Uma explicação mais detalhada, em inglês, do funcionamento deste circuito está na página http://www.theremin.us/203/203.html, de Arthur Harrison

Comentários: 0

Enviar um comentário