27 junho 2016

O lundum e o fado


Travessa do Poço dos Negros, pelos Trovante, em que se atribui ao lundum (uma dança africana) a origem do fado. O Poço dos Negros era um poço que havia em Lisboa, no qual eram lançados os escravos negros que morriam. Os escravos não tinham direito a um enterro cristão


É quase um lugar-comum dizer-se que o fado nasceu em Lisboa a partir do lundum ou lundu, que é uma dança de origem africana trazida para Portugal por escravos negros. Como assim? Que muitos africanos vieram para Portugal, trazidos à força como escravos, é indesmentível. Que entre as danças que eles trouxeram para estas terras europeias se encontrava o lundum, também parece altamente provável. Mas daí até se poder afirmar que o fado descende do lundum, vai uma distância enorme. Basta comparar um e outro género musical, para se verificar que qualquer semelhança é pura coincidência.

Estou quase totalmente de acordo com José Lúcio Ribeiro de Almeida, que há mais de 40 anos investiga o fado, quando diz:

Para mim o Fado começa pelo descontentamento popular aquando da fuga da família Real para o Brasil. Aparece em Lisboa o personagem "o Fadista", há fome e miséria, a ordem e a lei é substituída pela vingança, encomenda-se a morte dos inimigos (tratar do destino — fado — de alguém que nos enganou), quem mandava em Portugal não eram os Portugueses… (…) Esta é a minha opinião, mas longe de ser a verdade do Fado, é simplesmente a minha opinião lógica. A lógica dos acontecimentos, das datas, do sentir do povo de Lisboa, que nada tem a ver com o mar, com o Tango, cantigas populares (de trabalho ou romarias), com o "Lundum" africano ou brasileiro. O Fado é uma canção urbana de Lisboa. O Fado não é a "Canção Nacional", é uma canção que os portugueses nacionalizaram. (…)
(in http://www.jose-lucio.com/Fado%202012/Fado%202012.htm)


Ao que tudo indica, já se dançava lundum em Lisboa muito antes da fuga de D. João VI para o Brasil. Trezentos anos antes! Com efeito, diz-se que já no séc. XVI se dançava lundum na capital portuguesa, o qual teria sido proíbido por D. Manuel I, por o considerar contrário aos bons costumes. Se isto for verdade, então não podemos acreditar na afirmação feita por muitos brasileiros, segundo a qual o lundum teria a sua origem em Angola. Além de não me constar a existência de qualquer dança com esse nome, ou parecido, em Angola, há a considerar o facto de que os escravos que eram trazidos de África para Portugal não vinham de Angola. Vinham de terras africanas muito mais próximas, desde a Mauritânia até à então chamada Costa dos Escravos, na atual Nigéria. O lundum, portanto, não deve ter nascido em Angola, mas sim na Guiné ou no Benim, por exemplo. Não nos esqueçamos de que também foram levados milhões de escravos destas partes de África para o Brasil, como o demonstram as crenças populares nos orixás e o uso da língua nagô no candomblé, por exemplo.



Um lundum de autor anónimo brasileiro do séc. XIX



Tudo isto é Fado, por Amália Rodrigues

Comentários: 0

Enviar um comentário